terça-feira, 21 de abril de 2015

Enquanto caminho pelos campos...


Lembram-se da oferta da Clarinha no canto de oração?

Pois bem, este ano a nossa horta, perto do estendal da roupa, está cheia de florinhas azuis da planta da borragem... 
Ora vejam:



Ao contemplar tal beleza da natureza é impossível não pensar em Deus... 
O  azul celeste de cada flor onde as abelhas delicadamente poisam, é o cenário perfeito de contemplação para mim...


Na verdade, quem diz que vê a Deus e O ama e não O reconhece no rosto do irmão ou na beleza da criação é sinal que alguma coisa está errada.
Tudo o que Deus criou espelha o Seu amor e a Sua grandiosidade.

Eu não sei como sentem e cultivam a intimidade com Deus.  Para mim, depois de estar em silêncio diante do Santíssimo e de O receber na Santa Eucaristia, sinto muita necessidade de me refugiar na natureza. Na verdade, a palavra certa não é " refugiar" mas sim, tenho necessidade de beber da natureza todo o espírito e força de Deus...
Pelo louvor, contemplação e observação da natureza consigo sentir a presença de Deus que caminha comigo lado a lado. Afinal, não foi por acaso que Deus colocou o primeiro homem e mulher num paraíso, rodeado de toda a criação. Acredito que, lá no fundo, todo o ser humano foi feito para estar intimamente ligado à natureza e comunicar com ela.

Infelizmente, o mundo nos tem desviado de coisas tão simples, mas que nos fazem tão bem ao corpo e à alma: colher e comer diretamente fruta das árvores, subir às árvores, caminhar pelo campo, observar as flores e louvar a Deus por tanta beleza, caminhar descalço na erva... São tantas as coisas que as nossas crianças e famílias têm sido privadas, mas acredito que podemos ainda mudar muito este cenário. Temos de voltar a fazer coisas simples se queremos voltar a sentir a grandiosidade e força de Deus!  

Sempre que posso e com o tempo bom,  cultivo este espaço de intimidade com Deus: escuto os Seus passos ao meu lado, enquanto caminho pelos campos.

Ao longe, o som dos pinheiros a dançar com o vento e o cheiro das flores e do mato. As flores de Esteva, são lencinhos brancos a bailar ao sol louvando a Deus...



Cada flor de Esteva carrega em si, cinco marcas vermelhas à volta do centro. Na nossa terra, as pessoas dizem que são as cinco chagas de Cristo. Eu acredito que sim, pois toda a Natureza carrega em si a força e a mensagem de Deus. Toda a obra da criação nos chama à mudança e a colocar os olhos no criador e a meditar no seu Amor.


Toda a natureza nos chama à simplicidade e ao abandono nas mãos de Deus para tudo...


Sim, eu quero caminhar abandonada e totalmente entregue nas Tuas mãos, Senhor!


1 comentário:

  1. Também adoro andar descalça na erva... :)

    Mil beijinhos

    ResponderEliminar