sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

As primeiras flores que brotam no meio dos espinhos...

Lembram-se da coroa de espinhos no nosso canto de oração quaresmal?
Bom, as folhinhas já estão um pouco secas mas no meio dos espinhos já se vêem as primeiras flores que o Gabriel e a Clarinha oferecem a Jesus pelos seus sacrifícios...

São eles próprios que as fazem, de papel crepe colorido, quando chegam a casa da escola.

- Clarinha o que tens hoje para oferecer a Jesus?
- Portei-me sempre bem e rezei no intervalo!
 - E tu, Gabriel?
- Rezei na refeição e ajudei a Inês a terminar o trabalho da escola!
 - Que bom! Já sabem que de que cor querem as vossas florinhas?
-  Eu quero laranja! Ajuda-me mamã, é muito difícil cortar o papel...
- Ok, Clarinha. Cuidado, Gabriel! Não cortes muito se não a tira parte-se!...




E assim, cada um lá vai fazendo as suas florinhas e oferecendo-as a Jesus...
Que bonita que ficará carregada de flores....


Nós vamos lá estar... e vocês?

E porque ser família é isto mesmo: partilharmos e crescermos na fé juntos, sermos  ânimo e inspiração uns para os outros... neste tempo de Quaresma precisamos estar unidos!... Dia 7, lá estaremos para vos encontrar pessoalmente e vos abraçar e juntos sairmos deste retiro orientado pela querida Família Power mais cheios de força e fé para enfrentarmos o nosso dia-a-dia...

Nós vamos lá estar... e vocês?
Para quem não sabe como são os retiros, vale a pena visitar e arriscar e tem a minha palavra que não se vai arrepender!

Espero encontrar-vos lá...



Obrigada Olívia pelo trabalho e amor com que realizaste este convite para divulgarmos o encontro!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Plano de Quaresma em família - continuação...

Aqui introduzi a proposta do nosso trabalho em família nesta Quaresma. Para além daquilo que temos de trabalhar individualmente temos um plano familiar para oferecermos ao Senhor. Vamos nos esforçar, nos animar e apoiar mutuamente. Como nas vossas famílias, também nós temos momentos em que não conseguimos pôr em prática tudo aquilo a que nos propomos, em que cometemos os mesmos erros e suplicamos a Deus a sua misericórdia. São aqueles momentos em que o cansaço nos quer desanimar, em que as tarefas de casa nos parecem consumir o tempo todo e a luta constante para que Deus habite e esteja presente na nossa casa e ocupe o primeiro lugar. Acredito que a santidade habita os nossos corações não porque já somos perfeitos mas porque ao sermos imperfeitos e cairmos, nunca deixamos de nos levantar... Não importa quantas vezes caímos, o que é verdadeiramente importante é a quantidade de vezes que nos esforçamos e nos levantamos. Sim! A nossa família precisa de ser levantar muitas vezes e recorrer a Deus. É neste gesto simples de nos levantarmos que nasce a alegria de caminhar com Jesus...

Este é o post que melhor caracteriza e que sintetiza todo o esforço a que me proponho e a viver com sinceridade em família durante todo o ano e de quando em quando, olho para ele para não me esquecer de nenhum ponto...

Ao analisarmos o que podíamos fazer em família nesta Quaresma nasceram algumas ideias chave que vou partilhar:

- Na caminhada da nossa conversão em família, além de gestos que são para nós sacrifício e nos custam  é igualmente importante realizarmos todo o tipo de gestos que nos aproximam de Deus e unem a família: como o tempo em família, as atividades que realizamos juntos, visitarmos Jesus no sacrário, cantarmos mais vezes para Jesus...





- Mais do que as todas as atividades que eu possa apresentar aos mais pequenos em toda a Quaresma  o mais importante é conseguir explicar com amor o significado desta caminhada que a Igreja nos propõe e o chamado de Deus a sermos felizes...
Falaremos das leituras de cada Domingo, desejamos percorrer a via-sacra com o coração e  meditar na dor e paixão de Jesus. Com desenhos para colorir, e a intenção de oferecer muitas prendas e sacrifícios a Jesus... Estas são as atividades que realizaremos com os mais pequenos.

- Ao falarmos da família, muitas vezes damos muita prioridade a tudo aquilo que podemos fazer com as crianças. Mas esquecemos que o pilar da família é o casal. 
Qual é o vosso tempo de casal?
 Nesta Quaresma um dos pontos mais importantes para nós é darmos mais tempo a nós. É fácil justificar que chegamos ao fim do dia estafados e só queremos desmaiar na cama e dormir, mas se não manifestarmos gestos de amor, se não cultivarmos o tempo de casal como queremos que a grande barca que é a nossa família seja conduzida? Nós somos os pilares da nossa família e temos que estar em sintonia, temos de nos olhar nos olhos, rezar um pelo outro e  de estarmos enamorados para unidos conduzirmos esta barca. Não é fácil! Quem tem filhos sabe, as mil e uma prioridades do trabalho e da vida e a luta para darmos espaço e manter acesa a chama da união. Devemos dar o melhor aos nossos filhos mas eles nunca podem estar à frente da união do casal. Afinal, se Deus confiou nas nossas mãos os nossos filhos, foi porque tínhamos um companheiro para caminhar, sem ele os filhos não estariam aqui, não é verdade? . 
Qual foi a última vez que fizeram uma surpresa simples para o vosso companheiro? uma comida especial, uma flor, adiantar o trabalho do outro ou simplesmente aquecer o lugar da cama, para quando ele chegar já ter um lugar quentinho... 
Ás vezes o Serge ao preparar o seu pequeno-almoço, prepara também o meu. É um gesto simples mas cultiva o amor que nos une. 
E as crianças? 
Deus coloca sempre alguém ou a resposta,  basta estarmos disponíveis para termos um tempo extra para nós. 
Primeiro, estão os pilares da família, se nós estamos felizes os filhos sentem segurança e são igualmente felizes. Não é uma questão de luxo, é uma questão vital, primordial e prioritária para que as nossas famílias caminhem fortes em Deus!
 Depois desta pergunta e das respostas, convido a todas as famílias nesta Quaresma a darem prioridade ao tempo de casal e a juntarem-se a nós. Aceitam?

Bom, aqui está o nosso plano de um forma sintética usando as ferramentas:

Ferramentas para o plano de Quaresma em família:
- Jejum, Abstinência e Mortificação:
 Quarta e sexta-feira sem carne, refeições mais simples;
Tentar silenciar e respeitar mais quem fala durante as refeições em família;

- Oração:
Quarta  e sexta-feira levantarmos todos mais cedo e fazermos uma oração familiar
- Esmola
Sermos esmola e apoio uns dos outros cá em casa. Darmos tempo uns para os outros

-Obras de caridade:
Dar prioridade à visita dos idosos
- Estudo
Darmos mais tempo à palavra de Deus

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Unidos ao Papa - o mundo no nosso coração

Quando rezamos o nosso terço em família, nas três últimas avé-marias oferecemos sempre por muitas intenções inclusive pelas pessoas que nos pedem orações, mas a primeira delas é sempre pelo Papa e 
pelas suas intenções. Tentamos nutrir nos corações dos pequenos o amor à Santa Igreja e a importância de rezar com amor pelo Papa. Lembro-me da expressão da cara da Clarinha quando lhe contei o amor que a Jacinta tinha pelo Santo Padre e da sua visão que o via a ser perseguido. Jacinta rezava muito por ele. Amar a Igreja não se limita a gostarmos de viver na nossa paróquia com os nossos grupos e a servi-los é necessário estarmos enraizados e nutridos na grande família que é a Santa Igreja Universal, rezar por todas as almas para que se salvem e fortalecer o nosso coração e mente com a palavra que o Santo Padre nos trás, ele que é o percursor de Cristo na terra, um pai sábio que nos mostra o caminho. Sempre que posso gosto de ler as suas palavras.


E porque acredito no poder imenso da oração, vou retomar uma atividade com os mais pequenos que eu chamo " Levar o mundo no nosso coração". 
Como somos pequenos, e sem poder nenhum humanamente falando para mudar o mundo, tomámos a decisão de não ficarmos com os braços cruzados. O que não podemos fazer humanamente podemos fazer sem dúvida espiritualmente. O mundo e os acontecimentos da vida podem-nos roubar muita coisa: a saúde, a vida de alguém, os bens mas uma coisa não nos pode ser roubada a nossa fé. E com a fé a nossa alegria e esperança e o amor em servir. Já em Fátima, Nossa Senhora, falou aos pastorinhos que haviam muitas almas que não se salvavam porque não havia ninguém que rezasse por elas.

Imprimi uma mapa mundo e colorimos por continentes. Ele está numa zona bem visível da casa. Cada semana pesquisaremos por continente notícias que se estão a passar, falaremos da cultura, curiosidades e assuntos em função dos interesses de cada um. Todos os dias rezaremos impondo as mãos por breves instantes sobre a zona geográfica rezando por todas as almas que nela habitam pedindo a Deus que as ajude nas suas dificuldades e pedindo a sua conversão e santificação. É um gesto simples, mas acredito que de muito alivio e que nos faz materializar a nossa fé de que juntos somos um só corpo que sofre no mundo.

Que esta ideia vos inspire também nas vossas famílias a serem criativos na oração!
Que Deus vos ilumine a todos e abençoe as vossas famílias e o mundo inteiro!





domingo, 22 de fevereiro de 2015

Via-sacra cá em casa

Desde o ano passado, meditamos a via-sacra cá em casa neste tempo de Quaresma de uma forma muito divertida e profunda com os mais pequenos. A Clarinha e o Gabriel gostam muito e fazem sempre muitas perguntas e o assunto fica nos seus corações para o resto do dia.

O ano passado imprimimos e colorimos juntos os símbolos das estações da via-sacra, depois distribuímos as estações pela casa toda. Tínhamos um pequeno texto por cada estação e levávamos uma vela na mão que percorria todas as estações ( convém que a vela tenha um copo para a cera não sujar o chão por onde passam). Geralmente percorremos esta via-sacra de noite com as luzes da casa apagadas e eles adoram, ontem, por exemplo, como era sábado, fizemos o caminho da via-sacra de manhã e à noite e foi igualmente bom, entre cada estação cantamos um pouco.

Este ano, fiz algumas alterações, pois o meu objectivo era que eles rezassem e sentissem a caminhada com o coração e a expressassem com  palavras deles.  Achei que foi muito mais forte e mais vivida esta via-sacra. As alterações foram: ao contrário do ano passado não havia texto nenhum em cada estação. Acendíamos a vela e iluminávamos a estação,  eu anunciava a estação ou perguntava a eles o que tinha acontecido a Jesus. E juntos ajoelhávamos e dizíamos:

"Nós te adoramos e bendizemos óh Jesus
que pela vossa santa cruz remistes o mundo"

Por palavras minhas descrevia o que se estava a passar e depois convidava a cada um expressar aquilo que fariam por Jesus se estivessem lá ao pé Dele.

Por exemplo, na décima estação, Jesus é despido das suas vestes, a oração da Clarinha:

 " Jesus se eu estivesse ao pé de ti dava-te roupa limpinha e levava-te para a minha caminha e ponha-te pensos para ficares contente"

Eram orações curtas mas sentidas, que nos faziam viver lado a lado a dor de Jesus e querer ajudá-lo, acolhê-lo, consolá-lo...

Desta forma a via-sacra, acabou por não ser tão extensa, mais participativa e queremos continuar a fazê-la assim.

Entre duas estações a Clarinha virou-se para mim e disse:

" - Mamã, onde está o sangue de Jesus nas imagens?"
" - Sim, tens razão, Clarinha, esquecemo-nos de pintar o sangue, afinal Jesus sofreu muito para nos salvar. Vamos já tratar disso..."









quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

O nosso canto de oração - Quaresma

O nosso canto de oração Quaresmal está muito simples. Procuraremos meditar a via-sacra com as crianças às Sextas-feiras e sempre que possível. Ao longo da Quaresma iremos acrescentar as ofertas a Jesus...



 Este ano teremos a nossa coroa de espinhos... para meditarmos em família e com as crianças a paixão de Jesus.
Como na nossa terra não faltam silvas cheias de espinhos , aquelas que dão as saborosas amoras em Setembro , teci uma muito simples, representando de uma forma o mais real possível a coroa de espinhos de Jesus.









Como estão os preparativos do vosso canto de oração nesta Quaresma?

Plano de Quaresma em Família

Iniciamos a Quaresma hoje, quarta-feira de cinzas, este período de quarenta dias em que a Igreja nos convida a rever a nossa vida, a analisar a nossa caminhada e a uni-la a Cristo. 
É tempo de analisar, rever, renovar. Tempo de lançar metas, trabalhar os nossos pontos fracos. É tempo de penitência e oração. 
Faço o propósito de viver este ano a Quaresma com mais fervor e empenho em família, desejo ardentemente que o Senhor possa habitar no nosso lar e no coração de cada um de nós...
 É no nosso coração que o Senhor quer habitar. Mas como pode Ele habitá-lo no meio da nossa impaciência, falta de confiança, indiferença aos outros, e cegueira para aqueles que nos estendem as mãos? Ele não consegue habitar em nós assim... É necessário fortalecer, renovar o nosso coração. Mas é necessário que nós queiramos fazer esse esforço e decidamos deixar Deus entrar na nossa vida! Sim, é necessário...


Convido-vos a propósito disto, a ler algumas palavras do Papa Francisco para esta Quaresma de 2015: 

Tempo de renovação para a Igreja, para as comunidades e para cada um dos fiéis, a Quaresma é sobretudo um «tempo favorável» de graça (cf. 2 Cor 6, 2). Deus nada nos pede, que antes não no-lo tenha dado: «Nós amamos, porque Ele nos amou primeiro» (1 Jo 4, 19). Ele não nos olha com indiferença; pelo contrário, tem a peito cada um de nós, conhece-nos pelo nome, cuida de nós e vai à nossa procura, quando O deixamos. Interessa-Se por cada um de nós; o seu amor impede-Lhe de ficar indiferente perante aquilo que nos acontece. Coisa diversa se passa connosco! Quando estamos bem e comodamente instalados, esquecemo-nos certamente dos outros (isto, Deus Pai nunca o faz!), não nos interessam os seus problemas, nem as tribulações e injustiças que sofrem; e, assim, o nosso coração cai na indiferença: encontrando-me relativamente bem e confortável, esqueço-me dos que não estão bem! (...) Por isso, amados irmãos e irmãs, nesta Quaresma desejo rezar convosco a Cristo: «Fac cor nostrum secundum cor tuum – Fazei o nosso coração semelhante ao vosso» (Súplica das Ladainhas ao Sagrado Coração de Jesus). Teremos assim um coração forte e misericordioso, vigilante e generoso, que não se deixa fechar em si mesmo nem cai na vertigem da globalização da indiferença.

Há uns meses atrás o Serge disse-me:
" Pensa nas coisas que eu tenho a melhorar para trabalhar nesta Quaresma e eu penso nas tuas!" Achei uma ótima ideia. Muitas vezes temos dificuldade em nos vermos e o outro que está fora consegue ir sem rodeios aos pontos chave que precisamos trabalhar e como trabalhá-los. Não podemos nunca deixar de realizar este trabalho interior, é essencial despojarmos constantemente de nós próprios, da nossa vontade e buscar a vontade de Deus, só assim o Senhor pode ressuscitar verdadeiramente em nós...
No meio desta sugestão, surgiu também a ideia de alargar o tema aos mais pequenos ( na medida deles, é claro!) para juntos realizarmos de uma forma consciente esta caminhada quaresmal em família.

Como qualquer busca do tesouro temos de ter um plano ou um mapa para nos orientarmos e pelo esforço sairmos vitoriosos. Desejamos encontrar no final da nossa caminhada quaresmal em família, o nosso grande tesouro:  o rosto de Jesus ressuscitado em tudo o que somos e fazemos. Que o Senhor nos ajude...
O plano deve ser simples, realista, razoável, sem exigir um esforço a mais que nos leve a desanimar. Mais vale pequenos passos que nos fazem progredir, do que uma meta que nos parece impossível e nos faz regredir. Para as crianças é importante que eles se sintam desafiados a descobrir coisas novas, a fazerem esta caminhada com material prático e verem frutos dos seus esforços. Não deve ser uma caminhada pesada para eles, como uma obrigação, mas sim devemos vê-los com entusiasmo em  avançar cada vez mais.

Hoje, vamos ter uma reunião em família. Numa folha de papel vamos escrever aquilo que cada um pode trabalhar individualmente nesta Quaresma. O Serge dirá os meus pontos a trabalhar e eu os dele, juntos escreveremos os pontos dos mais pequenos. Coisas simples, distribuiremos uma por semana de Quaresma. Para que os mais pequenos tirem muitos frutos desta caminhada e se esforcem com alegria e entusiasmo teremos atividades, irei falar delas à medida que elas se realizarem. Finalmente, escreveremos os pontos a trabalharmos como família, o nosso Plano Quaresmal em família. Iremos nos esforçar por preencher pelo menos um de cada  tópico das ferramentas.
Assim, que tiver pronto partilharei o nosso plano de Quaresma em família.

Ferramentas para o plano de Quaresma em família:
- Jejum, Abstinência e Mortificação:
- Oração;
- Esmola;
-Obras de caridade;
- Estudo


segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Tempo em família...

Nos tempos atarefados e cheios de mil e uma prioridades em que vivemos, os nossos lares estão carentes de tempo passado em família... aquele tempo em que estamos juntos e fazemos coisas muito simples mas que nos unem... na verdade são um prolongamento da nossa oração diária em família!

Acredito que  os instantes privilegiados para as crianças sentirem a presença real de Deus acontecem nestes breves instantes de tempo em família em que o amor se materializa e os valores e a fé se tornam palpáveis.

Para caminharmos de uma forma saudável e sã espiritualmente não podem faltar cá em casa aqueles momentos onde damos umas gargalhadas, e onde todos participam das brincadeiras dos pequenos, nem que seja por uns instantes...









Também fazem parte aqueles momentos em quem os mais pequenos participam nas nossas tarefas lá em casa e aprendem um pouco de tudo...




" Mamã, já lavei a loiça!" Bom...mais ou menos. Mas algum dia tem de ser o primeiro!




Ou aprendemos coisas juntos: 

muitas histórias...


Também aprendemos e estudamos assuntos do nosso interesse:
O Gabriel e o Serge a tentar arranjar um brinquedo com circuitos elétricos.


Gostamos também de fazer caminhadas, ir à biblioteca juntos...enfim a lista é infinita mas o mais importante é termos este tempo juntos!

E vocês como passam o vosso tempo em família? 


sábado, 14 de fevereiro de 2015

Alegrai-vos sempre no Senhor!

Nestes dias de Carnaval, um pouco por todo o mundo nos são apresentados dias de festa, alegria e muita animação. As pessoas no geral festejam, mas não sabem o quê. Procuram alegria, felicidade mas não sabem a onde...


Nós cá em casa sabemos bem o que festejamos: sabemos que para vivermos bem e com consciência o tempo da Quaresma que se aproxima, esta grande caminhada que nos convida à conversão, à penitência, à renúncia de si mesmo, a nos lembrar dos outros, precisamos ter bem presente de onde vem a nossa alegria. A nossa alegria vem da presença diária do Senhor na nossa vida. É Ele a nossa alegria, o nosso motivo para festejar. 

Em cada lar cristão o Senhor nos convida a tomarmos consciência e a vivermos esta alegria que brota do Seu coração. 
Uma alegria que nos torna verdadeiramente felizes, capazes de amar o próximo e de se esquecer de si. 
Uma alegria que nos leva a deixarmos para trás o que corre mal e nos apressarmos a festejar o que corre bem. 
Uma alegria que nos leva a sentir que somos um em Cristo, que nos fará desejar um dia encontrarmo-nos todos juntos na eternidade e nos olharmos olhos nos olhos para sempre. 
Uma alegria que nos levará a nos sacrificar nas pequenas coisas para levarmos connosco muitas almas  para o céu e de interceder constantemente por outros tantos irmãos que sofrem e que choram no desespero. 
Sim! Nessa altura encontraremos a verdadeira felicidade e então choraremos a sério, não de dor mas de verdadeira alegria!

Sim, devemos sempre nos lembrar que o Senhor é a alegria da nossa casa, mesmo no meio da dor, da falta de saúde, no meio dos problemas ou naqueles dias que não nos apetece cantar, nem mesmo rezar...




Eu não sei o que hoje está a tirar a alegria aos vossos corações, nem porque andam tão apressados ou cansados. Também não sei porque têm andado tão tristes nestes dias, mas o Senhor sabe...  Só Ele pode preencher aquele vazio que nada, nem ninguém pode preencher. Só Ele pode saciar a nossa fome e sede e dar-nos a água viva que anseia a nossa alma. Só Ele pode dar-nos a verdadeira alegria e paz.  Aproximem-se Dele. Abram o vosso coração e  rezem comigo...

Querido Jesus, fonte da minha alegria, paz e força do meu coração,
Dá-me de beber, para que eu não volte a ter mais sede...
Sacia a minha alma com a graça para que eu Te busque sempre em primeiro lugar.
Derrama as fontes inesgotáveis do Vosso amor sobre a minha família:
Cura-a, liberta-a de todo o mal e ajuda-me a conduzi-la até Ti...
Tu sabes como é difícil rezarmos em família, ter forças para ler a tua Palavra todos os dias,
rezar juntos o terço com as crianças...
Senhor, conduz a minha vida de oração familiar
santifica a minha família e dai-me forças para que o cansaço nunca seja a minha derrota mas a via para eu te amar cada vez mais...
Amen



sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Parabéns Papá e Mamã!

E porque os dias importantes da família devem ser dias de festa: 
" Parabéns, Papá e Mamã pelos 9 anos de casamento!"



Carnaval

Todas as oportunidades são boas para ler e imitar a vida dos santos. Ontem há noite imprimi um texto curto sobre a vida de dois santos que o Gabriel e a Clarinha escolheram: São Jorge e Santa Gianna Beretta Molla. Cada um levou para a escola o texto para mostrar de quem estavam mascarados e contar a história do santo. Hoje à noite falaremos um pouco sobre a sua vida.
O Gabriel queria ser São Jorge e contar as suas lendas e a Clarinha queria ser médica, como já tínhamos ouvido falar de Santa Gianna foi uma oportunidade para pedirmos a sua interseção e falarmos dela.



Uns instantes antes de saírem para a escola, eles estavam todos contentes. Estão muito bonitos, não estão?


quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Naqueles 5 minutos...

Naqueles cinco minutos em que a casa estava em silêncio, peguei na Bíblia. Gosto de abrir a Bíblia e ler um pequeno trecho e nele ficar a pensar... mas foram só cinco minutos. Não era uma situação ideal para estar sentada, com tempo e meditar, mas mesmo assim, não deixo de a ler. Há dias em que depois de eles estarem a dormir consigo lê-la com tempo, mas outros, a maior parte, já estou muito cansada por isso não desperdiço cinco minutos durante o dia. A passagem que me calhou vinha no Evangelho segundo São João capítulo 14 em diante...
Naqueles cinco minutos a Sofia sentou-se ao pé de mim e tirou uma imagem de Jesus cruxificado que servia de marcador da Bíblia e começou a dar beijinhos.
 Eu disse-lhe:
" É Jesus...muitos beijinhos, Sofia" Fui buscar a máquina para lhe tirar uma foto para mais tarde lhe contar a história...
Se não tivesse aproveitado aqueles cinco minutos no meu dia, quanta coisa tinha perdido!

Aproveitem todos os minutos que Deus vos dá e esforcem-se por sempre fazer melhor e mais...
Nós sempre podemos ir mais longe e aguentar mais do que imaginamos... 



quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Sondagem: Em que áreas da vossa vida se sentem mais fracos e a precisar de Deus?

"E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar.
Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim.
E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.
Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte."

2 Coríntios 12:7-10

Sentirmo-nos fracos, pequenos é a condição essencial para que Deus possa trabalhar na nossa vida e transformar o nosso coração. Esta é a realidade, é a nossa condição humana: frágil, indecisa, medrosa. Mas Deus aproveita as nossas fragilidades para aumentar em nós as virtudes e nos formar para irmos ao encontro dos outros.... Se não nos sentíssemos fracos, iria ser muito mais difícil irmos ao encontro do próximo. As nossas dores e necessidades aproximam-nos uns dos outros e assim também da vontade de Deus.  Quem acha que não precisa de nada, nem nos outros, como pode sentir que precisa da presença de Deus e Nele deseja caminhar? 
O Senhor nos diz  ao coração: " A minha graça te basta... luta e Eu habitarei em ti." 

Nas nossas fraquezas lutando com Cristo, seremos fortes. Seremos fortes porque encontraremos a paz e a sabedoria para agir no meio das adversidades e seremos luz e sal no mundo para os outros da presença de Deus...

Quando tenho um problema esforço-me por orar e viver assim: " Senhor, se isto que me está a acontecer não servir para me tornar melhor e me santificar, eu peço-te, afasta de mim esta situação. Contudo, se é para me santificar. Ajuda-me, óh Senhor, dá-me a Tua graça, a tua paz para ter forças para aceitar o sofrimento como tu o fizeste." Não é nada fácil, mas não desistirei...

Em que áreas da vossa vida se sentem mais fracos e a precisar de Deus?


Saúde física
  0 (0%)
Trabalho
  0 (0%)
Luta interior para superar o pecado
  0 (0%)
Relação familiar e filhos
  0 (0%)
Relação entre o casal
  3 (60%)
Isolamento e falta de verdadeiras amizades
  0 (0%)
Cansaço psicológico e emocional
  3 (60%)

Votos apurados: 5
Sondagem fechada 

Ao lançar esta pergunta a minha primeira intenção foi ter mais uma oportunidade de rezar por vocês... 

Eu não sei o que estão a viver nas vossas casas, como estão os vossos relacionamentos, como está a vossa fé nem como está a vossa saúde, mas o Bom Deus que tudo vê e nos sonda, sabe muito bem...

Também não sei como está o vosso coração, o que vos deixa sem vontade de lutar, quais os obstáculos que vos fazem chorar, mas uma coisa eu sei: que Deus tudo pode, que Deus opera milagres quando e onde quer e que o Espirito Santo pode chegar através de um simples ecrã de computador. 


Eu te suplico, Bom Deus, a graça nas vidas destas famílias. A mesma graça que eu peço para a minha, peço também para estas famílias, que votaram e apresentam as suas áreas dolorosas: no relacionamento do casal e em cansaço psicológico e emocional...
Quem sou eu para te fazer este pedido? Apena alguém que confia em Ti e no teu poder misericordioso capaz de romper as mais altas muralhas de um coração fechado e pecador. Sinto-me bastante fraca, talvez até seja mais pecadora que todas elas, mas eu dirijo-me a vós não porque eu mereça, mas porque a minha confiança em vós é mais poderosa que o pior de todos os pecados. Lembra-te do meu pedido, óh Senhor! 
Faz descer a Tua graça e força sobre cada uma destas famílias e protege todas as famílias do mundo com especial cuidado te rogo pelas Famílias de Caná.
Amém


Animemo-nos uns aos outros para que a presença de Cristo venha habitar as nossas famílias...

Levo muito a sério quando se trata de falar de Deus, esforço-me ao máximo para dar ao Senhor a melhor parte. Muitas vezes não consigo. Mas aprendi uma coisa: Se caímos rápido, mais rápido nos devemos levantar e olhar em frente e avançar, o Senhor está sempre de braços abertos para nos erguer e perdoar. Perdemos muito tempo a olhar para os nossos erros e a culpabilizarmo-nos. É tempo perdido! Ocupemo-nos em pensar nas coisas do alto e em ver sempre o rosto misericordioso de Deus. Não olhemos para trás! 

Em relação aos nossos pontos fracos, tenho uma palavra de ânimo para vós e para mim e que tenho observado na minha vida: naquilo em que sofremos é nessas áreas que podemos servir aos outros. O nosso sofrimento é combustível e bálsamo que pode até mesmo sarar os outros. O que é vivido é oração viva para Deus e tem muito valor. Num outro post falarei na prática aquilo que sinto.


Relação entre o casal
 Fazer um grande esforço por viver o perdão em todas as situações e por descobrir o mais alto grau de amor e entrega que não depende daquilo que o outro pode ser útil para nós. Não esperar nada em troca e não esperar que seja o outro a dar o primeiro passo em gestos de amor e perdão. Não! temos de ser nós a dar o primeiro passo, se queremos ser felizes. O perdão muitas vezes não é justo, ou seja, o outro não merece. Mas não damos o perdão porque é justo ou não, mas porque queremos ser felizes e ter o perdão de Deus. Como queremos que Deus oiça as nossas orações, nos liberte e nos perdoe se nós não queremos perdoar um irmão? Jesus não nos pediu para perdoar porque era justo ou não mas porque ele nos disse: 'sede santos como o vosso Pai que está no céu é santo' e Ele perdoa infinitas vezes. Na verdade, enquanto não perdoarmos de coração alguém, somos prisioneiros, acorrentados e a graça de Deus não consegue entrar.  
Rezar, rezar muito, por o companheiro que está longe.
Costumamos invocar o Espírito Santo sobre os nossos filhos quando dormem, mas há uns dias atrás, depois de eles estarem deitados, rezámos um pelo outro impondo as mãos. No início, é até desconfortável e um pouco sem jeito, pois é mais fácil rezar pelos que estão fora da nossa casa e que não conhecemos. Contudo temos que nos habituar a rezar em primeiro lugar por aqueles que estão dentro de nossa casa e que Deus colocou no nosso caminho, em especial, o nosso companheiro. Tudo o que é oração, estreita a força que une as almas e que o inimigo, que nos distrai, não consegue derrotar. Esse é um grande segredo: rezar juntos e em família.
Confiar em Deus em todas as coisas...

Cansaço psicológico e emocional

Esta é uma das minhas respostas à pergunta. Sinto-me assim muitas vezes, no meu dia-a-dia na minha luta por cuidar deles, da casa e dar prioridade a Deus. Não ligar muito às quedas, nem ao que corre mal, olhar sempre para aquilo que ainda podemos realizar de bom para Deus! Ser esperança em tudo! Saber calar mais e agir de acordo com o Evangelho, esquecer-se de si. Não ter medo de nada , nem de ninguém e confiar sempre em Deus...



sábado, 7 de fevereiro de 2015

O valor do sofrimento

Jesus amou-nos até à dor, até derramar todo o seu sangue para nos resgatar... Nesse gesto de Amor Ele revelou-nos o valor profundo do sofrimento.
Não é Deus que envia o sofrimento na nossa vida. Contudo, Ele muitas vezes o permite porque como Bom Pai que é, vê tudo aquilo que nos leva a salvar a nossa alma. Muitas vezes, é unicamente por meio desse sofrimento que uma nova força pode brotar do nosso íntimo, uma força que até então desconhecíamos, aquela força que rompe em mil partes o nosso homem velho, que vive no conforto e que não precisa de ninguém nem de Deus. Se Deus permite um sofrimento é porque Ele sabe que o podemos suportar e depois quando o aceitamos e unimos o nosso sofrimento ao de Cristo algo novo acontece, Deus não nos deixa iguais, Ele quer mostrar-nos algo que até então não enxergávamos...


Todos nós achamos que só nós é que temos problemas e sofrimentos, mas não é verdade. Todos nós, sem excepção, temos histórias mais ou menos dolorosas para contar...

Como já contei aqui, o parto na Clarinha foi uma experiência forte para mim. Passados uns 15 dias do seu nascimento, ela ficou cheia de eczemas por todo o corpo, eczemas que se transformavam em  feridas abertas. Não foi fácil... pois não havia nada que a aliviasse. Não podia dar muitos banhos senão secava muito a pele e não havia cremes ou tratamentos naturais que dessem muito resultado. Sair com ela à rua não era nada confortável, ora sol, ora vento... dá-lhe medicação forte, não, não era o que queríamos. Só havia uma solução, esperar e acreditar que com o crescimento a solução se resolvesse e assim foi, mas foram meses e meses... mas não acabou aqui. Com a idade de 1 ano aos 2 e meio mais ou menos, a Clarinha ficava recorrentemente doente com bronquiolites e com falta de ar. Sempre que ficava doente, era no mínimo uma semana de recuperação com tratamento e algumas vezes teve de ir ao hospital e eu sem dormir... Houve um dia que eu senti que estava no meu limite, o meu coração começou a acelerar...e o meu sistema nervoso nunca mais ficou igual. 
Hoje, com tratamento natural mas principalmente graças à oração de vários sacerdotes e à nossa fé a Clarinha nunca mais teve nada e não precisa de tomar nada.
Posso-vos dizer que, todo esse cansaço psicológico e emocional que passei não foi em vão, foi esse amar até à dor, unida a Jesus, que eu entrego nas Suas mãos quando oro por alguém. Quando estou aflita ou alguém vem ter comigo aflita com algo, são os meus sofrimentos oferecidos que eu levo a Jesus. Não são as minhas boas ações, palavras bonitas ou orações...aquilo que Jesus me pede é o sofrimento que eu aceitei passar, são as pérolas preciosas que fazem derramar a cura e a libertação na alma dos meus irmãos... pelo sofrimento nos tornamos um com Cristo.
Como é difícil aceitar o sofrimento....

Desse sofrimento, Deus enviou-me uma alma, uma filha Clara, que O ama muito e em tudo se lembra Dele....
  
Jesus dorme sempre ao pé dos seus bebés...


 Hoje, ela encontrou uma fita das festas  no chão e apanhou duas bagas silvestres na rua e a correr bateu na porta e disse:
- " Mamã, abre depressa a porta que trago uma surpresa para Jesus!" E depois colocou-as assim no nosso canto de oração. Fiquei emocionada...




Jesus ajuda-me sempre a aceitar o sofrimento e a sabê-lo sofrer Contigo...

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

A coroa da paciência

Enquanto tentava dobrar a roupa acabada de sair do estendal e pensava em mais duas ou três tarefas para fazer ao mesmo tempo, olhava para a Sofia que gatinhava e ponha-se de pé agarrada aos móveis para todo o lado. Ela com ar sempre bem disposto, chegava ao pé dos livros, que se encontravam numa prateleira baixinha, e puxava-os todos para o chão, espalhando-os. Eu falava com ela e voltava a arrumá-los. Ela ia brincar com outra coisa e daí a pouco outra vez tudo espalhado no chão e lá voltava eu a arrumá-los e a interromper tudo o que estava a fazer. Isso repetiu-se algumas vezes. Enquanto tudo isso acontecia reparava nos sentimentos que isso despertava em meu interior e lá voltei  a lembrar-me de louvar o Senhor
Nesse instante, apercebi-me que sempre que deixamos de ter paciência para as aprendizagens das pequenas coisas, pagamos um alto preço por este gesto que nem nos apercebemos,  perdemos a alegria. Não, eu não me posso " dar ao luxo" de ficar sem paciência custe o que custar! Prefiro morrer cansada a me afastar da doce presença do Senhor... Sim, é verdade! sempre que agimos sem paciência afastamo-nos do Senhor... Posso andar cansada, fraca ou despenteada mas,... se eu for paciente,.. óh que doce alegria! O Senhor me dará a sua benção, paz e permanecerá junto a mim! Sim, é só isso que eu quero, a presença viva do Senhor em mim! Este é o meu tesouro: "Se eu permanecer Nele, Ele permanecerá em mim e seremos um só para transformar o mundo..."

"Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.
Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos."

João 15:7-8


quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Sondagem: Qual a pedrinha das Famílias de Caná que têm mais dificuldade em pôr em prática?

Abordarei este tema a partir da visão do nosso testemunho pessoal familiar.
As cinco pedrinhas em nossa casa, vivem-se como um todo  e são os pilares fundamentais, as ferramentas preciosas, a síntese que nos indica o caminho mais curto e seguro rumo à santidade familiar. Quem quer caminhar unido à Santa Igreja e "fazendo tudo o que Jesus nos disser" naturalmente já cumprirá a maior parte delas.



Aqui está o resultado da sondagem:

Qual a pedrinha das Famílias de Caná que têm mais dificuldade em pôr em prática?


Consagração a Nossa Senhora
  0 (0%)
Vida sacramental
  2 (25%)
Canto de oração
  0 (0%)
Rosário e a Bíblia
  2 (25%)
Visitação
  4 (50%)

Votos apurados: 8
Sondagem fechada 

Comecemos por falar das duas pedrinhas que não foram votadas.
Apesar de parecer que são bastante fáceis de pôr em prática, quero aqui falar de alguns aspectos importantes.

Consagração a Nossa Senhora



A consagração a Nossa Senhora nas Famílias de Caná, surge como o ponto de partida da nossa conversão e transformação espiritual, é um abandono total diário nas mãos de Maria. Entregamos-lhe a nossa vida, às vezes ainda sem muita consciência do que isso significa, mas como uma criança de mãos dadas com a sua mãe, caminhamos com confiança que com ela chegaremos a Jesus.

Apesar de ser fácil realizarmos diariamente a oração de consagração a Nossa Senhora, quantas vezes sinto dificuldade em renovar este meu abandono diário nas suas mãos de mãe...
Peçamos a graça a Deus de diariamente ao rezarmos a consagração a Maria, possa o nosso coração ser tocado e inflamado de entrega sincera... que Maria esteja presente e seja invocada diariamente nas nossas tarefas diárias; que seja o refúgio e proteção dos nossos filhos especialmente quando estão fora de casa; que seja a fortaleza na qual a nossa família se santificará. Ensinemos os nossos filhos como filhos de Maria a falar com ela e a ter gestos de amor para com ela ( A Clarinha e o Gabriel gostam muito de fazer desenhos e apanhar flores para colocar no nosso cantinho de oração ao pé da imagem de Nossa Senhora) 

Canto de oração

Facilmente construímos um canto de oração onde a família se reune todos os dias para rezar. Contudo, não basta construir um canto de oração e já está. É necessário reunir a família e usá-lo diariamente como sinal da nossa entrega familiar a Deus. Esse canto de oração é muito pessoal, intimo e próximo de cada  família e deve ser construído a partir do coração. Muitas pessoas têm uma Bíblia em casa, mas poucas são aquelas que lhe dão vida, a manuseiam, a sublinham ou colocam marcadores nas passagens que mais lhes tocam. Assim, também é  um canto de oração, um espaço vivo, de caminhada na fé diária que se transforma à medida que o ano litúrgico avança. Cá em casa, sempre que eu vejo o canto de oração a "ganhar pó",  é sinal que algo podia estar a correr melhor. Independentemente, do que se está a viver na liturgia, há sempre um desenho aos pés de Maria, no outro dia alguém encontra uma flor muito linda e a coloca ao lado da imagem de Jesus, às vezes a Bíblia está fechada outras abertas... às vezes quando temos uma coisa que é muito importante para nós o local mais apropriado é no canto de oração onde todos olham e reparam...  O mais importante,  no nosso canto de oração, é  esta reunião familiar, é esta manifestação e sinal externo da nossa união em Deus, que não deve faltar diariamente, como o "pão nosso de cada dia". 
Que o nosso canto de oração seja sempre um espaço central na nossa casa, que caminha connosco, que caminha com as nossas orações feitas com o coração.


( canto de oração dos mais pequenos)


Vida sacramental

Se temos dificuldade nesta pedrinha é sinal que temos de mudar a nossa vida, as nossas prioridades. Se queremos descobrir a maior felicidade reservada para nós, que é este encontro pessoal com Cristo, temos que ter como prioridade  alimentar a nossa vida com os sacramentos. Cristo se faz corpo, sangue e alma para nos fortalecer na Santa Eucaristia, nos perdoa e nos dá a graça de caminharmos para não voltar a pecar pelo sacramento da Reconciliação, não podemos perder tudo isto! Como querem trabalhar durante todo o dia sem tomarem uma refeição? Como querem que os vossos filhos estudem e tirem bons resultados se não lhe oferecerem alimento durante o dia? Assim, também é a nossa alma, sem o seu verdadeiro alimento que é Cristo. Uma alma sem Cristo fica desnutrida e não terá força para vencer os desafios do mundo e pior, fica cega para a verdadeira felicidade...
Levem os vossos filhos aos sacramentos desde pequenos e verão milagres... rezem pelo companheiro ou pelo filho afastado dos sacramentos, mas rezem com fé....



Rosário e a Bíblia

É fácil votar nesta pedrinha e justificar pela falta de tempo, mas é um erro, pois eu observo que quando  rezamos o rosário e lemos a Bíblia diariamente o resto do tempo ganha qualidade e sentimos a paz em nosso coração. Têm que experimentar, vale a pena!
Como e quando rezar o terço em família com crianças pequenas, é uma questão pessoal e deve favorecer a todos. Nós encontrámos esta solução, e continuamos com ela e tem dado frutos. Ler a Bíblia? Sim! todos os dias, nem que seja uma passagem pequena enquanto o Gabriel e a Clarinha brincam e a Sofia dorme... enfim, sempre que tenho uma pausa de 5 minutos pego na Bíblia.
Contar Histórias da Bíblia? Claro, nem sempre dá para estarmos sentados e quietos. Ás vezes vou no carro e conto um pouquinho, outras vezes estou a lavar a louça e vou contando enquanto trabalho. Em família nunca há situações ideais e se esperamos a situação ideal para alguma coisa acabamos por nunca fazer nada. Eu tento não pensar muito e fazer todos os dias nem que seja um pouquinho. Cada instante livre é oportunidade para uma história, cada instante livre se aproveitado pode ser a salvação da nossa família !

Bom, e agora lá vamos para a mais votada:

Visitação

Sempre senti enquanto caminhava na Igreja e mesmo quando me afastei que este era o aspecto que mais faltava na minha caminhada: ir aos outros e levar alguma alegria e a presença de Deus. 
Quando casei, viemos para a aldeia e voltámos verdadeiramente para a  Igreja. Com um coração novo,  tivemos de tomar uma decisão e pensámos : Ora, se Deus nos dá uma semana inteira para pensarmos só em nós, será que não podemos dar ao menos um dia para pensarmos nos outros? O Domingo, claro! No Domingo, o dia do Senhor, temos de começar a fazer alguma coisa pelos outros. Começámos por visitar o lar de idosos com as crianças ou íamos visitar amigos ou famílias e desde aí nunca mais parámos. Hoje também damos catequese ao Domingo, é realmente um dia muito especial para toda a Igreja. Temos que tomar uma decisão e depois o Senhor nos mostrará o que quer de nós. Mas temos de ser nós a dar o primeiro passo concreto. Que Deus vos ilumine e inspire por onde devem começar a trabalhar a pedrinha da visitação em família.


Lanço uma nova pergunta:

Em que áreas da vossa vida se sentem mais fracos e a precisar de Deus?

Saúde física
Trabalho
Luta interior para superar o pecado
Relação familiar e filhos
Relação entre o casal
Isolamento e falta de verdadeiras amizades
Cansaço psicológico e emocional

Se houver outra resposta que não está aqui podem responder ao post sem se identificarem.



Já podem votar... participem!

Se quiserem sugerir as próximas perguntas a serem abordadas para sondagem,  escrevam para rute3almeida@sapo.pt e serão bem vindas.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Contar histórias...

Há umas semanas trás, o Gabriel chegou a casa e disse-me:
-" Mamã, de 2 a 6 de Fevereiro é a semana da leitura na nossa escola. Todos os dias alguém nos vai contar uma história... o professor disse que ainda havia 2 vagas e perguntou se algum pai poderia lá ir..." Eu respondi logo:
-" Claro, que sim! Diz ao professor que eu vou."

E assim foi, hoje foi o meu dia. Estavam lá todas as crianças do infantário e da primária e diverti-me muito! 
Qual a história que eu contei? Bom,.... da Bíblia, claro! Toda a gente sabe que sou apaixonada pelas Histórias da Bíblia.... Contei a famosa História de David e Golias e como queriam mais, contei também a História de Sansão e Dalila. No final, cada um levou um cartãozinho com a indicação da passagem Bíblica para entregarem aos pais, para ouvirem em casa.



Obrigada aos professores e à escola por poder participar nesta semana e levar o meu coração mais cheio de Amor!